Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Desabafos de Outros Tipos E Feitios

Desabafos de Outros Tipos E Feitios

Lembra-me

Lembra-me se eu esquecer,

Lembra-me se eu não lembrar,

Lembra-me se vires que algo mudou

Lembra-me se eu mudar

 

Não me deixes esquecer,

Jamais recordar

Lembra-te sempre de quem sou

Para que mo possas lembrar

 

Lembra-te do que hoje me torna única,

Lembra-te do que me torna especial

Lembra-te de tudo o que merece ser lembrado

Lembra-mo quando já não o conseguir lembrar

 

Porque não quero esquecer quem sou,

E tenho medo que isso aconteça

Lembra-me se isso acontecer,

Lembra-me antes que eu esqueça!

 

 

Crónica - sociedade

   Vivemos numa sociedade injusta, que dá mais valor ao que as pessoas aparentam ser do que ao que elas realmente são. Uma sociedade de aparências onde algumas pessoas parecem marionetas controladas por esta, e as que se consciencializam da existência dos “cordéis” e se tentam libertar, são apontadas a dedo.

   O que é de lamentar é que muita gente parece não se aperceber deste facto, talvez porque nunca se confrontaram com ele, ou então porque se sentem confortáveis na pele de marionetas.

   Desde muito cedo somos confrontados com a existência do bem e do mal, da diferença entre eles e do que é certo e errado. No entanto isso não nos impede de gozar com o que para nós é diferente, e o pior é que este facto está tão interiorizado, que por vezes, mesmo sem querer, fazemos juízos sobre pessoas que nem sequer conhecemos. Algumas pessoas limitam-se a fazer um comentário pontual, uma piada, mas outras pessoas não, fazem piadas consecutivas de propósito, fazem do alvo da sua piada, a fonte de gargalhadas e de outras piadas.

   O que é que faz alguém pensar que tem o direito de fazer outra pessoa sentir-se abaixo de lixo? Porque é que inconscientemente damos tanta importância à aparência? Muitos de vocês, que estão a ler isto podem estar a pensar que vocês não ligam à aparência das pessoas. Será que não? Quantas vezes não comentaram com o vosso colega que aquela/ aquele ali ao fundo da sala é isto ou aquilo, tem isto ou aquilo? E por vezes nem se dão conta disso…

   A sociedade dá tamanha importância à aparência, que algumas pessoas, talvez mais frágeis, cedem de tal maneira que põe em causa a sua saúde física e psicológica com o objectivo de se tornarem mais perfeitas. Quando é que vão perceber que a perfeição não existe ou pelo menos não é universal.

E o que resta àqueles que se apercebem disto e tentam não participar? ”Remar contra a maré”?

 

Não procures

Não procures no infinito,

O que está à distância de um toque.
 
Não procures numa lágrima,
O motivo da tristeza.
 
Não procures num sorriso,
A razão da felicidade.
 
Porque muitos são aqueles que deixam passar o que lhes esteve tão próximo.
 
Porque muitos são aqueles que choram de felicidade.
 
E porque muitos são aqueles que apesar de tristes, continuam a sorrir.

Deixa-me chorar

Deixa-me chorar, por todas as vezes que não chorei,

Quando devia ter chorado.

 

Deixa-me chorar, por aquilo que não sinto,

Mas gostaria de sentir.

 

Deixa-me chorar, por todas as palavras que não disse,

Mas espero vir um dia a dizer.

 

Deixa-me chorar, não por te ter perdido,

Mas por ainda não te ter encontrado.

 

Espero que um dia possas secar as minhas lágrimas…

 

Aparência

Aparentas perfeição, sorrisos e gargalhadas,

Vives rodeada pela multidão

Mas isso são apenas fachadas

 

Avalias o mundo pelas aparências,

Pensas-te superior a tudo

Acreditas que és indispensável

Não no meu mundo.

 

Dás valor ao superficial,

Que acreditas ser tudo o que existe.

Tudo o resto é banal

Sem ti nada subsiste

 

Mas e se um dia abrires os olhos,

E olhares em teu redor,

Quantas vão ser as pessoas que vão lá estar?

Quantas ainda te vão falar?

 

Por isso fechas os olhos,

Finges nada ver,

Convencida de que assim,

Nunca irás sofrer.

 

[...]

Secaram-se as lágrimas,

Apagou-se a alma,

Perderam-se os sentimentos.

 

O mundo perdeu-se.

Os corações já não sentem.

As mentes já não sonham.

 

Algo mudou.

Foi o mundo?

Fui eu?

 

É certo que algo se perdeu,

E não parece querer voltar.

 

"e-vida"

Vives atrás de uma avatar, escondido ou apenas disfarçado, revelas a pessoa que realmente és, aquela que gostarias de ser, ou simplesmente alguém que criaste.

Muitos pensam que não está certo, outros pensam que não é normal, no entanto certo ou não, existe e faz parte de ti, mesmo que não seja real, faz parte da tua vida, porque simplesmente é uma parte dela, por mais pequena que seja.

Aqui consegues dizer coisas que na verdade nunca disseste, aqui consegues ser alguém que não consegues ser, ou que os outros não conseguem ver.

Aqui és quem queres ser e ninguém sabe se realmente o és ou não, porque ninguém dá muita importância a isso, porque o que importa é o momento, e não o que está por detrás da avatar, o que importa é o que mostras, e não o que tentas esconder.

Aqui podes esconder-te do mundo, aqui podes esconder-te de tudo, menos de ti próprio.

 

Pág. 1/2